31 março 2010

Castelo de Germanelo

Era mais pequenina que agora, quando os meus pais me levaram ao Castelo de Germanelo! Um sítio tão perto de mim, o qual nunca tinha sonhado sequer que existia!

Nessa altura, contaram-me a lenda dos irmaozinhos! Fiquei tão fascinada que só me apetecia voltar a este local! Agora, depois de tanto tempo, voltei... A conduzir! Mas qual não foi o meu espanto ao encontrar o mesmo castelo, ou melhor, a mesma muralha já destruída pelo tempo, igual! Apesar das coisas novas que encontrei, do caminho que fizeram para chegar até junto do castelo, que até então não havia! Só mesmo caminho de cabra! Ou então, com um bom jipe! Os ferros a tapar uns poços... o estrado à volta da muralha e o parque de merendas... é pouco... Ano após ano, todo o nosso património degrada-se! E a nossa sociedade cada vez mais se desapega dos valores, da história e da cultura! Daqui a uns anos teremos uma sociedade ainda mais débil, a todos os níveis!




30 março 2010

Uma flor para mim! xD


Sinto saudades do silêncio....daquele silêncio que apesar de me deixar com medo do vazio, transmite-me coragem... força! Transmite-me confiança em mim própria! E por mais amigos especiais e espectaculares... por mais namorado deslumbrante... família incondicional... há sempre momentos que precisamos de ter medo do medo! De nos sentirmos sós... de pensarmos... para depois mais tarde, podermos agirmos! Nestes momentos em que estou eu e eu... são flores como estas que surgem! Delicadas e suaves! São sobremesas... ou seja, são "criações" modestas e peculiares mas que puxam por mim e me fazem acreditar principalmente em Mim... xD

23 março 2010

Flor em tecido e feltro


"Olhos postos na terra, tu virás
no ritmo da própria primavera,
e como as flores e os animais
abrirás as mãos de quem te espera."

Eugénio de Andrade

20 março 2010

Candal

Outra aldeia de xisto da Lousã é o Candal... Igualmente graciosa!

Apesar de já ter passado algumas vezes ao lado desta aldeia, pois fica mesmo ao lado da nacional, e, apesar de talvez vez ser das aldeias mais desenvolvidas e visitadas, nunca tinha parado para a conhecer e explorar! Por isso hoje decidi faze-lo!


Da estrada não diz nem metade do que é na realidade esta bela aldeia! Cheia de pequenos largos graciosos, pessoas doces e acolhedores... Em cada esquina à mesinhas e banquinhos de pedra! Canteiros e água...muita água a cair neste pequeno paraíso! É lindo sem dúvida! Muito mais bonito ao vivo... independentemente se tiver a fazer sol ou a chover! =)


Apesar da chuva que decidia aparecer de vez em quando, este foi um passeio muito enriquecedor! Onde os olhos se encheram de alma e o coração de vida! Parece que esta beleza nos purifica os sentidos! É absolutamente divinal...


Para se visitar estas aldeias, apenas é preciso a vontade de visitar, de andar a percorrer... Sensibilidade e amabilidade para com os seres! O resto... é a própria visita que nos proporciona...


De volta à Lousã

Talasnal
Bem, andava louca para voltar à Lousã, à serra! Pensei, a primavera é um óptimo pretexto!!! Os meus olhos brilharam logo que me passou essa ideia pela cabeça... o desejo aumentava de dia para dia! Parecia uma criança excitada, contando os dias à espera do tal, especial, dia de passeio! Voltar à serra, às aldeias de xisto que eu tanto adoro, para mim era uma autentica vibração, paraíso!
Os dias pareciam também a melhorar... e eu feliz sorria e dizia: "dia 20 vou à Lousã!"... Mas pronto, o tempo mudou!
Contudo, decidi ir na mesma e foi tal como estava à espera., se não melhor...foi um máximo! Não há palavras para explicar o que senti e vivi! Fartei-me de andar... subir, descer escadas...descobrir novos caminhos, novas aldeias! =) E mesmo com este tempo, é bonito de se visitar... pois é a junção do xisto... dos verdes deslumbrantes das ervas e plantas que contrastam tão bem... São as pessoas tão simpáticas e afáveis que nos recebem tão esplendorosamente bem! Amei por completo o dia!
E agora o que digo... é que quero voltar novamente em breve! =)



(Na foto acima, é a entrada para a Casa da Urze... lojinha de artesanato, café, restaurante e ainda tem alojamento! Eu tive a oportunidade de provar uns bolinhos regionais de castanha muito bons!)



(Seguindo o percurso pedestre, vai-se dar a um riacho repleto de cores, sentimentos, sons, magias! É um misto de Vida!)

18 março 2010

Grutas da Moeda

Aproveitei que o tempo melhorou e fui arejar a cabeça, sair um pouco da rotina e fazer o que mais gosto...passear, conhecer! Decidi ir até S.Mamede, concelho da Batalha, conhecer as Grutas da Moeda e para meu espanto, adorei imenso! Apesar de não terem a dimensão das grutas de Mira de Aire, são igualmente bonitas, naturais e com estruturas calcárias fantásticas!

Ao longo da visita os guias foram explicando a história das grutas, a associação de imagens, como a sala do presépio, a capela, a fonte das lágrimas, entre outras associações.

Descemos até os 45metros e com uma temperatura de 18ºC todo o ano, o que é fantástico... quentinho no inverno e fresquinho no verão!

Lenda das Grutas da Moeda
"Segundo a tradição, em tempos idos, um homem abastado destas redondezas ao passar por um bosque, em torno de um algar, foi assaltado por um bando de malfeitores que lhe tentaram saquear a bolsa de moedas que trazia à cintura. Com a confusão do assalto, o homem caiu para dentro do algar, levando consigo a bolsa de moedas tão cobiçada pelos assaltantes. Pelo precipício se espalharam e perderam irremediavelmente as moedas, dando ao algar o nome pelo qual ainda hoje é conhecido - Algar da Moeda" - Retirado do site: http://www.grutasmoeda.com/portal/index.php


14 março 2010

Ponte Romana da Quebrada

Hoje de manhã tive uma "surpresa" muito boa do meu amor =) Eu adoro passear, estar em contacto com a natureza! Adoro andar de bicicleta, enfim... amo a magia da vida, e de Sentir! E ele sabe disso, tanto é que hoje me levou a um lugar tão simples mas ao mesmo tempo tão belo... Levou-me, de bicicleta, a ver a ponte romana da Quebrada!

Foi um começo de dia incrível, onde me cansei imenso pois para aqui chegar só mesmo a pé, de bicicleta ou de mota! O caminho com as chuvas está um pouco lamacento e as subidas e descidas acentuadas não nos dão descanso... no entanto, isso é muito pouco para simplesmente podermos contemplar e admirar este local cheio de vida e de mil sons =)

Está tão perto de nós que acabamos, por vezes, nem dar conta! Percorremos tantos quilómetros para contemplarmos maravilhas e esquecemos-nos das que estão mesmo ao nosso lado!

Temos um Portugal tão belo... mas ao mesmo tempo, tão esquecido! As pessoas de fora dão muito mais valor às coisas que temos, do que nós, portugueses! E apesar de todas estas maravilhas, é triste, muito triste! Olharmos para o que é nosso e vermos as coisas esquecidas e perdidas! Neste local havia moinhos, vários! Casas! Agora há pedaços de paredes cobertas de silvas!

A Quebrada é mais um de tantos locais maravilhosos de Portugal que estão esquecidos... E que infelizmente, continuarão a estar... Pois uma festa é mais importante que o nosso património! Isso irrita-me profundamente, deixa-me triste e desiludida!

13 março 2010


"Era preciso agradecer às flores
Terem guardado em si,
Límpida e pura,
Aquela promessa antiga
Duma manhã pura."


Sophia de Mello Breyner


Piodão

Das mais bonitas Aldeias Históricas de Portugal e em xisto, Piodão localiza-se na Serra do Açor, concelho de Arganil!
As suas casas típicas, abrigadas dos ventos, trepam a encosta! O azul, da madeira das casas, é como um símbolo em Piodão! Faz parte da estrutura arquitectónica da aldeia e é engraçadíssimo, vermos ao longe as casinhas em xisto e à volta das portas e das janelas, a madeira pintada de azul!


No meio de tanta cor mais escura, xisto e azul, a Igreja do séc. XVII vem realçar no centro da aldeia! =)


As pessoas são extremamente simpáticas, acolhedoras e preocupadas! Admito que fiquei bastante surpresa! Mas ao mesmo tempo deliciada =) Dá vontade de ficar mais tempo a conversar!


Quem visitar esta aldeia pode também passar pelo Núcleo Museológico de Piodão e ficar a conhecer um pouco mais dos costumes, tradições e modos de vida da antiga gente que aqui vivia! O turismo também é outro ponto que renasceu com força... alojamento, restauração e ainda, diversas lojinhas à entrada da aldeia com as coisas mais tradicionais... Licor, que é uma maravilha e que trago comigo sempre que lá vou, mel, pão, as casinhas pequenas em xisto e muitas outras coisas da terra!


Estas aldeias como Piodão, enriquecem-me os olhos com a sua beleza natural, a sua nostalgia e simplicidade! Mas também me enaltecem a alma e o coração, sentindo-me quente e confortável! É difícil de explicar tanta sensação única mas é tão maravilhoso, ouvir cada som produzido pela natureza e sentir! Sobretudo sentir o calor de cada som, de cada movimento que o vento faz, da água que corre! São uma infinidade de sons que não acabam e que me fazem sentir tão maravilhosamente bem! A Piodão já fui 3 vezes... e vou continuar a ir em busca da paz e da harmonia que aqui existe... vou continuar a passar por aqui para encontrar o meu alento tão desejado... o meu porto de abrigo de uma sociedade fugitiva do tempo!


P.S.: As fotos não são as melhores! Mas já estava a ficar mais tarde quando chegamos ao Piodão! Mas também o importante não são as fotos mas sim as imagens que guardamos dentro de nós =)